UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora

A metodologia da abordagem social de rua na perspectiva de usuários adolescentes

Lirene Finkler, Débora Dalbosco Dell’Aglio, Maria Ângela Mattar Yunes

Resumo


O estudo investigou a percepção de adolescentes em situação de rua acerca da intervenção de um serviço de abordagem social na cidade de Porto Alegre. Utilizou-se metodologia de Grupo Focal, participando sete adolescentes (13-18 anos). Os dados qualitativos foram sistematizados em três eixos de análise: 1) intervenções com foco nos adolescentes; 2) intervenções com foco nas famílias; 3) o serviço de abordagem de rua enquanto parte de um sistema de cuidado. O serviço foi percebido como microssistema relevante e os processos proximais se estabeleceram a partir do oferecimento de apoio social em todas as suas modalidades. O apoio emocional informal destacou-se pelo vínculo e proximidade dos usuários com os trabalhadores. Implicações para intervenções em políticas sociais são discutidas.


Texto completo:

PDF

Referências


Bosi, M. L. M. (2014). Desafios atuais para a pesquisa qualitativa: Considerações no cenário da saúde coletiva brasileiro, Forum Sociológico, 24(1), 19-26. Disponível em https://sociologico.revues.org/996

Bronfenbrenner, U. (2000). Making human beings human: bioecological perspectives on human development. Thousand Oaks: Sage Publications.

Câmara, M. F. B., Moraes, M. M., Medeiros, M., & Ferriani, M. G. C. (2000). Aspectos da assistência prestada a crianças e adolescentes em situação de rua no município de Goiânia. Revista Eletrônica de Enfermagem, 3(1). Retrieved from https://www.fen.ufg.br/fen_revista/revista3_1/rua.html

Claro, H. G., Oliveira, M. A. F. de, Ribeiro, A. P. R. R., Fernandes, C. C., Cruz, A. S., & Santos, E. G. M. dos. (2014). Perfil e padrão de uso de crack de crianças e adolescentes em situação de rua: uma revisão integrativa. Rev. Eletrônica Saúde Mental Álcool Drogas (São Paulo), 10(1), 35–41. Disponível em https://doi.org/10.11606/issn.1806-6976.v10i1p-35-41

Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente - CONANDA (2008). Orientações técnicas para os serviços de acolhimento para crianças e adolescentes. Brasília: CNAS.

De Antoni, C., Barone, L. R., & Koller, S. H. (2007). Indicadores de risco e de proteção em famílias fisicamente abusivas. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 23(2), 125-132.

De Antoni, C., Martins, C., Ferronato, M. A. , Simões, A., Maurente, V., Costa, F., & Koller, S. H. (2001). Grupo focal: método qualitativo de pesquisa com adolescentes em situação de risco. Arquivos Brasileiros de Psicologia, 53(2), 38-53.

Ferreira, V. V. de F., Littig, P. M. C. B., & Vescovi, R. G. L. (2014). Crianças e adolescentes abrigados: perspectiva de futuro após situação de rua. Psicologia & Sociedade, 26(1), 165-174. https://dx.doi.org/10.1590/S0102-71822014000100018

Autores (Ano). Família e comunidade: repensando intervenções com crianças e adolescentes em situação de rua. In N. E. L. S. Valencio & A. A. Cordeiro (Eds.), Anais do Seminário Nacional População em Situação de Rua (pp. 51-60), Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, SP. Disponível em http://www.senaposirua.ufscar.br/anais.

Gracia Fuster, E. (1998). El apoyo social en la intervención comunitaria. Barcelona: Paidós.

Graciani, M. S. S. (2009). Pedagogia social de rua. Análise e sistematização de uma experiência vivida (6ª ed.). São Paulo: Cortez: Instituto Paulo Freire.

Granpal/UFRGS (2004). Perfis e mundo das crianças e adolescentes em situação de rua da Grande Porto Alegre. Relatório de pesquisa. GRANPAL – Associação dos Municípios da Grande Porto Alegre, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, UFRGS. Disponível em http://lproweb.procempa.com.br/pmpa/prefpoa/observatorio/usu_doc/relatorio_pesquisa_granpal.pdf

Gregori, M. F. (2000). Viração: experiências de meninos nas ruas. São Paulo: Cia das Letras.

Juliano, M. C. C., & Yunes, M. A. M. (2014). Reflexões sobre rede de apoio social como mecanismo de proteção e promoção de resiliência. Ambiente & Sociedade, 17(3), 135-154. Disponível em https://dx.doi.org/10.1590/S1414-753X2014000300009

Lemos, M. P. (2002). Ritos de entrada e ritos de saída da cultura de rua: trajetórias de jovens moradores de rua de Porto Alegre. Dissertação de Mestrado, Mestrado em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Brasil.

Lima, R. F. F., & Morais, N. A. (2016). Caracterização qualitativa do bem-estar subjetivo de crianças e adolescentes em situação de rua. Temas em Psicologia, 24(1), 01–15. Disponível em https://doi.org/10.9788/TP2016.1-01

Macerata, I. M., & Passos, E. (2015). Intervenção com jovens em situação de rua: problematizando cuidado e controle. Psicologia & Sociedade, 27(3), 537-547. Disponível em https://dx.doi.org/10.1590/1807-03102015v27n3p537

Magni, C. T., Schuch, P., Gehlen, I., & Dickel, I. K. (2008). Crianças e adolescentes em situação de rua em Porto Alegre. In I. Gehlen, M. B. Silva, & S. R. Santos (Eds.), Diversidade e proteção social: estudos quanti-qualitativos das populações de Porto Alegre (pp. 71-92). Porto Alegre: Century.

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (2009). Tipificação nacional de serviços socioassistenciais. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate a Fome. Conselho Nacional de Assistência Social. Brasília: MDS.

Miranda, S. G. (2005). Criança e adolescente em situação de rua: políticas e práticas sócio-pedagógicas do poder público em Curitiba. (Tese de Doutorado, PPG em Educação, Universidade Federal do Paraná, Brasil). Disponível em http://bdtd.ibict.br/vufind/Record/UFPR_cd2960137ab71d4c8435cbda68d4f53e/Details

Morais, N. A., Neiva-Silva, L., & Koller, S. H. (Eds.), (2010). Endereço desconhecido: crianças e adolescentes em situação de rua. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Moura, Y. G., Silva, E. A., & Noto, A. R. (2009). Redes sociais no contexto de uso de drogas entre crianças e adolescentes em situação de rua. Psicologia em Pesquisa, 3(1), 31-46.

Neiva-Silva, L., & Carvalho, F. T. (2007). Adolescência e drogas: intervenções possíveis. In C. S. Hutz (Ed.), Prevenção e intervenção em situações de risco e vulnerabilidade (pp. 163-203). São Paulo: Casa do Psicólogo.

Neiva-Silva, L., & Carvalho, F. T. (2010). Estudo comportamental com crianças e adolescentes em situação de rua em Porto Alegre e Rio Grande: uso da técnica de Respondent Driven Sampling (RDS) para a identificação de comportamentos sexuais de risco e uso de drogas. Relatório Técnico Analítico Final de Pesquisa do Programa Nacional de DST/AIDS.

Oliveira, E. S. (2008). Crianças e adolescentes em situação de rua: imposição inexorável? A experiência da Associação de Apoio a Meninas e Meninos da Região Sé (AAMM). (Dissertação de Mestrado, Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, Brasil). Disponível em http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-08102008-114916/pt-br.php

Oliveira, W. F. (2004). Educação social de rua: as bases políticas e pedagógicas para uma educação popular. Porto Alegre: Artmed.

PAICA-Rua (Ed.), (2002). Meninos e meninas em situação de rua. Série Fazer Valer os Direitos: Cortez.

Paludo, S., & Koller, S. H. (2008). Toda criança tem família: crianças em situação de rua também. Psicologia & Sociedade, 20, 42-52. Disponível em http://www.redalyc.org/html/3093/309326454005/

Patias, N. D., Siqueira, A. C., & Dell'Aglio, D. D. (2017). Imagens sociais de crianças e adolescentes institucionalizados e suas famílias. Psicologia & Sociedade, 29, e131636. doi: 10.1590/1807-0310/2017v29131636

Perez, O. C. (2005). ONGs e governo: Um estudo sobre as organizações não-governamentais que trabalham com meninos(as) e rua no centro de São Paulo e as relações com a administração municipal. Tese de doutorado, P.P.G. Sociologia da USP, São Paulo, Brasil.

Pesce, R., Assis, S., Santos, N., & Oliveira, R. (2004). Risco e proteção: em busca de um equilíbrio promotor de resiliência. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 20, 135-143.

Pierce, G. R., Sarason, B. R., Sarason, I. G., Joseph, H. J., & Henderson, C. A. (1996). Conceptualizing and assessing social support in the context of the family. In G. R. Pierce, B. R. Sarason, & I. G. Sarason (Eds.), The handbook of social support and the family (pp. 3-23). New York: Plenum.

Prefeitura Municipal de Porto Alegre - PMPA (2006). Projeto Ação Rua. Porto Alegre: FASC. Disponível em http://lproweb.procempa.com.br/pmpa/prefpoa/fasc/usu_doc/acaoruaversaofinal2006_1.pdf.

Ribeiro, M. O., & Ciampone, M. H. T. (2002). Crianças em situação de rua falam sobre os abrigos. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 36(4), 309-316.

Rizzini, I., & Buttler, U. M. (2003). Crianças e adolescentes que vivem e trabalham nas ruas: revisitando a literatura. In I. Rizzini (Ed.), Vida nas ruas. Crianças e adolescentes nas ruas: trajetórias inevitáveis? (pp. 17-44). Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio, São Paulo: Loyola.

Romans, M., Petrus, A., & Trilla, J. (2003). Profissão educador social (E. Rosa, Trad.). Porto Alegre: Artmed.

Santana, J. P., Doninelli, T. M., Frosi, R. V., & Koller, S. H. (2004). Instituições de atendimento a crianças e adolescentes em situação de rua. Psicologia & Sociedade, 16(2), 59-70.

Santana, J. P., Doninelli, T. M., Frosi, R. V., & Koller, S. H. (2005). Os adolescentes em situação de rua e as instituições de atendimento: utilizações e reconhecimento de objetivos. Psicologia: Reflexão e Crítica, 18(1), 134-142.

Sarason, B. R., Sarason, I. G., & Pierce, G. R. (1990). Social support. An interactional view. New York: John Wiley & Sons.

Secretaria de Direitos Humanos - SDH/Instituto de Desenvolvimento Sustentável - IDEST (2011). Primeira pesquisa censitária nacional sobre crianças e adolescentes em situação de rua. Brasília: SDH/IDEST. Disponível em http://www.teleios.com.br/wp-content/uploads/2011/03/Pesquisa-Censitaria-Nacional-sobre-Criancas-e-Adolescentes-em-Situacao-de-Rua-Mar-2011.pdf

Souza, M. G., Reis, M. L. A., Corrêa, N. M. B., & Giugliani, S. (2010). In N. A. Morais, L. Neiva-Silva, & S. H. Koller (Eds.), Endereço desconhecido: crianças e adolescentes em situação de rua (pp. 465-498). São Paulo: Casa do Psicólogo.

Tanaka, O. Y., & Melo, C. (2001). Avaliação de programas de saúde do adolescente: um modo de fazer. São Paulo: Edusp.

Wills, T. A., Blechman, E. A., & McNamara, G. (1996). Family support, coping, and competence. In M. Hetherington & E. A. Blechman (Ed.), Stress, coping, and resiliency in children and families (pp. 107-133). New Jersey: Lawrence Erlbaum Associates.

Yin, R. K. (2005). Estudo de caso: planejamento e métodos. 3.ed. Porto Alegre: Bookman.




DOI: https://doi.org/10.24879/2017001100200181

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

 

   Revista Psicologia em Pesquisa

   Vinculada ao Programa de Pós-graduação em Psicologia

   Universidade Federal de Juiz de Fora
   Departamento de Psicologia – ICH
   Campus Universitário – Bairro Martelos
   Juiz de Fora – MG - CEP: 36036-330

   E-mail: revista.psicologiaempesquisa@ufjf.edu.br

   e-ISSN 1982-1247

   DOI: 10.24879


   INDEXADORES



            

 

 

                       

Universidade Federal de Juiz de Fora